A Lesão SLAP  é a lesão que ocorre no lábio superior da glenóide e seu nome que é uma abreviação em inglês. O termo lesão SLAP é a abreviação de Superior Labrum Anterior to Posterior Lesion, em português Lesão do Lábio Superior de Anterior para Posterior.

A superfície articular da escápula (glenóide) articula com a cabeça do úmero formando a articulação do ombro. O lábio glenoidal é uma estrutura que circunda a superfície articular da glenóide aumentando a área e a estabilidade do ombro, evitando que ele luxe com a movimentação.

Estas lesões foram apenas descobertas há 25 anos com o desenvolvimento das técnicas de artroscopia e melhora dos métodos diagnósticos. Comumente estas lesões podem acometer o tendão do bíceps ou ligamentos do ombro (ligamentos glenoumerais) que originam-se nesta região.

Representação anatômica da lesão SLAP

Representação anatômica da lesão SLAP

O que causa as lesões SLAP?

As lesões podem ter origem traumática durante uma atividade esportiva, queda ou outro acidente. Também podem ser degenerativas por movimentos repetitivos com os ombros.

É comum sua presença em atletas de esporte de arremesso (tênis, vôlei, atletismo) ou nadadores. Entretanto também a encontramos em pessoas comuns que executam atividades repetitivas com os ombros.

lesão slap é comum em esportes de arremesso como tênis, vôlei e atletismo

Lesão SLAP é comum em esportes de arremesso como tênis, vôlei e atletismo

Quais são os sintomas da lesão SLAP?

Os sintomas mais comuns nos pacientes com lesão SLAP são:

  • dor ao elevar o braço acima da cabeça;
  • estalidos, crepitações ou rangidos ao movimentar o ombro;
  • dor ao tentar colocar o braço atrás da linha do tronco ou da cabeça;
  • sensação de instabilidade no ombro;
  • dor ao deitar-se sobre o ombro;
  • perda de força súbita no ombro ou sensação de “braço morto”;
  • diminuição da performance esportiva;
  • alterações do gesto esportivo.

Como é feito o diagnóstico?

Os pacientes com lesão SLAP referem dor no ombro que não tem uma localização específica, o que dificulta muito o diagnóstico. Em geral, o exame clínico do paciente pode ajudar, mas também não confirma o problema.

Outro aspecto relevante é que as lesões SLAP dificilmente são doenças isoladas nos ombros dos pacientes. Normalmente as encontramos associadas com outras doenças,  entre elas podemos citar:

A presença de outras lesões nos pacientes, dificulta o diagnóstico da lesão SLAP.

A ressonância magnética ou artroressonância (ressonância com contraste) são os exames que podem confirmar o diagnóstico. Os principais achados nestes exames são:

  • irregularidade dos contornos do lábio glenoidal;
  • alteração de sinal do lábio glenoidal;
  • heterogeneidade difusa do sinal do lábio glenoidal;
  • rotura ou desinserção do lábio glenoidal na sua porção superior;
Ressonância magnética demonstrando uma lesão SLAP

Ressonância magnética demonstrando uma lesão SLAP

Classificação e tipos de lesão SLAP

A lesão SLAP pode ser classificada pelo grau do destacamento do lábio glenoidal e do acometimento do tendão do bíceps, em outras palavras, pela tamanho da lesão e extensão em outras áreas.
  • tipo I : ocorre apenas um leve alteração degenerativa do lábio superior da glenóide, muitas vezes não precisa de tratamento e está associada a outras doenças do ombro, como a rotura do manguito rotador;
  • tipo II:  é um destacamento ou desinserção do lábio glenoidal na sua porção superior, juntamente com o bíceps;
  • tipo III: é um rotura do lábio glenoidal na sua porção superior, o fragmento do lábio rompido fica deslocado para dentro da articulação. Está lesão também é chamada de “lesão em alça de balde”;
  • tipo IV: a rotura do lábio da glenóide também acomete o tendão do bíceps.
Classificação da Lesão SLAP

Classificação da Lesão SLAP

Como é o tratamento das lesões SLAP?

As lesões SLAP não são todas tratadas cirurgicamente. A maioria das lesões são degenerativas, existe apenas uma leve alteração no lábio superior da glenóide. Para estes pacientes o tratamento fisioterápico está indicado.

A maioria das lesões SLAP são tratadas com reabilitação fisioterápica.

Os objetivos da reabilitação são alongamento da cápsula posterior do ombro que eventualmente está pouco alongada e fortalecimento da musculatura ao redor da escápula, bem como dos rotadores externos e internos dos ombros.

Atualmente, mesmo em pacientes jovens e atletas com lesões onde há destacamento do lábio, a reabilitação fisioterápica é o tratamento inicial, pois pode ser o suficiente para eliminar a dor do paciente e permitir a prática esportiva normal sem necessidade de um longo período de reabilitação.

Uma publicação científica recente demonstrou que mesmo em atletas de alto rendimento, o tratamento não cirúrgico da lesão SLAP é efetivo em 70% dos casos.

Alongamento da cápsula posterior do ombro

Alongamento da cápsula posterior do ombro

Exercícios e fisioterapia para lesão SLAP

Habitualmente os exercícios mais importantes são os alongamentos para o músculo peitoral menor e para a cápsula posterior dos ombros.

Exemplo de alongamentos para o músculo peitoral menor, veja mais alongamentos para ombro.

Também são recomendados exercícios para o fortalecimento dos músculos rombóides, trapézio  e deltóide posterior com os seguintes exercícios:

  • crucifixo invertido;
  • crossover invertido;
  • remada baixa;
  • remada alta;
  • remada cavalinho ou em barra T;
  •  encolhimento dos ombros com halteres ou barra.

Devem ser efetuados o fortalecimento do músculo serrátil anterior com os seguintes exercícios:

  • Flexão de braços adaptada para serrátil anterior ou “Scapular pushup”
  • Flexão de braços na parede adaptada para serrátil anterior ou “Wall Scapular pushup”
  • Supino adaptado para serrátil anterior ou “Scapular Bench press””
  • Elevação com Rolo na parede ou “Overhead Wall Rollout”
  • Fly horizontal com elásticos ou : Horizontal band fly”

O fortalecimento dos rotadores externos ou internos do ombro também é muito importante e deve estar presente nos processos de reabilitação.

Sempre lembrando que não se deve simplesmente fazer os exercícios, um profissional de fisioterapia é essencial para identificar o momento certo de aplicação de cada um e monitorar os movimentos corretos.

Quando está indicado a cirurgia para a lesão SLAP e qual o melhor tratamento?

A minoria dos pacientes precisa de tratamento cirúrgico. Ele está indicado apenas quando não há melhora com a reabilitação fisioterápica. Existem 02 tipos de cirurgia:

  • reparo do lábio superior, indicada para pacientes abaixo de 40 anos de idade
  • tenodese do bíceps, indicada para pacientes com mais de 40 anos

No reparo da lesão SLAP, o lábio é reinserido na porção superior da glenoide com auxílio de âncoras.

Reparo da lesão SLAP com auxílio de âncoras

Reparo da lesão SLAP com auxílio de âncoras

Na tenodese, o bíceps é cortado de seu local original e reinserido no úmero com auxílio de âncoras ou parafusos. Ambas técnicas são feitas por artroscopia. As principais complicações do tratamento cirúrgico são dor residual, perda da força do arremesso e rigidez que podem ser minimizadas com a escolha da técnica adequada.

Tenodese da cabeça longa do bíceps

Tenodese da cabeça longa do bíceps

Cirurgia de Reparo da Lesão Slap em Vídeo

Como é o pós-operatório da lesão SLAP?

Após a cirurgia o paciente deve ficar imobilizado com uma tipoia por 1 mês, exercícios para ganho de amplitude da movimentação são iniciados após este período.

Fortalecimento é prescrito após 2 a 3 meses da cirurgia e o retorno ao esporte de 5 a 6 meses.

Complicações: Cisto paralabral e a lesão SLAP

Algumas lesões SLAP podem favorecer a formação de cistos ao redor da articulação do ombro, chamados cistos paralabrais ou paralabiais. Este cisto é benigno e formado pelo acúmulo de líquido articular que escapa da articulação pela lesão SLAP.

Cisto paralabral no ombro devido a lesão Slap

Cisto paralabral no ombro devido a lesão Slap

A maioria dos cistos são assintomáticos e não necessitam ser tratados, mas alguns quando grandes podem comprimir algum nervo e levar a dor e diminuição da força. Quando existe esta compressão deve ser indicado o tratamento cirúrgico.

3 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta