O Manguito rotador é um conjunto de tendões no ombro. É responsável por proteger, estabilizar e proporcionar boa parte da mobilidade desta articulação, também conhecida como articulação glenoumeral. Participa ativa e primariamente de todos os movimentos rotacionais dessa articulação. Vamos explicar exatamente o que é, sua função e outros pontos comumente questionados.

O que é o Manguito Rotador?

O Manguito Rotador é um conjunto de 4 músculos e seus respectivos tendões que se inserem na cabeça do úmero. Estes músculos exercem importante função na movimentação do ombro. Lembrando que o ombro é a articulação com maior mobilidade do corpo humano.

Os músculos do manguito rotador são menores que os músculos deltoide e peitoral maior. Mas desenvolvem importante função na estabilização articular e atuam em todos os movimentos do ombro.

Músculos do manguito rotator - visão anterior e posterior

Músculos do manguito rotator – visão anterior e posterior

 

Músculos que compõe o Manguito Rotador

O Manguito Rotador é composto por músculos e tendões que em conjunto mantém a cabeça do úmero encaixada na cavidade glenoidal. São músculos profundos, estão localizados abaixo dos músculos deltoidetrapézio. O  manguito rotador está diretamente relacionado à funcionalidade do ombro.

Músculo Supraespinhal

O músculo supraespinhal ou supra-espinhoso é um dos menores músculos do manguito rotador. Ele é inervado pelo nervo supraescapular, a partir de C4 a C6. Tem origem medialmente na fossa supraespinhal da escápula e se insere no tubérculo maior do úmero.

É o principal músculo atuante na abdução ou elevação do ombro. Também tem importante função na estabilização do ombro. O músculo supraespinhal pressiona a cabeça do úmero contra o interior da cavidade glenoide, evitando que aconteçam lesões, como luxações.

O músculo supraespinhal auxilia o deltóide no movimento de abdução ou elevação do ombro.

Músculo supraespinhal do manguito rotador

Músculo supraespinhal do manguito rotador

Músculo Infraespinhal

O músculo infraespinhal, é inervado também pelo nervo supraescapular, a partir de C4 a C6. É um músculo espesso e de formato triangular que ocupa boa parte da fossa infraespinhal da escápula onde se origina, e se insere no tubérculo maior do úmero. É o músculo responsável pelo movimento de rotação lateral do braço.

Músculo infraespinhoso do manguito rotador

Músculo infraespinhoso do manguito rotador

Músculo Subescapular

O músculo subescapular é inervado pelo nervo subescapular, a partir de C5 a C7. Origina-se na fossa subescapular da escápula e sua inserção é no tubérculo menor do úmero e na cápsula articular do ombro. Os principais movimentos realizados por ele são a rotação medial e a adução do braço.

Músculo subescapular do manguito rotador

Músculo subescapular do manguito rotador

Músculo Redondo Menor

Por fim, o redondo menor é um músculo inervado pelo nervo axilar, a partir de C5 e C6. Sua origem está localizada na borda axilar ou lateral da escápula e sua inserção é na face inferior do tubérculo maior do úmero. Auxilia principalmente no movimento de rotação lateral do braço.

Músculo redondo menor do manguito rotador

Músculo redondo menor do manguito rotador

A Fisiologia ou Função do Manguito Rotador

O manguito rotador é uma estrutura que amplifica a capacidade rotacional da articulação glenoumeral, pela ação dos músculos que o integram. As funções mais importantes do manguito rotador são:

  • Rotação externa do ombro realizada pelos músculos infraespinal e redondo menor.
  • Rotação interna do ombro executada pelo músculo subscapular;
  • Elevação ou abdução do ombro desempenhada pelo músculo supraespinal;
  • Estabiliza dinamicamente a articulação do ombro. O manguito rotador realiza esse trabalho pressionando e mantendo a cabeça do úmero em contato com a cavidade glenoidal, que é uma superfície rasa e por essa razão, facilmente acometida pela instabilidade.

 

 

A boa funcionalidade do ombro depende de atividade harmoniosa entre os tendões do manguito rotador.

Caso algum músculo ou tendão do manguito rotador esteja enfraquecido ou lesado, há comprometimento da estabilidade e movimentação do ombro, assim a articulação se torna mais vulnerável a sofrer novas lesões. Especialmente, em situações que envolvam grande amplitude de movimento, força ou atividade de grande impacto.

Por isso é de grande relevância observar as alterações articulares no ombro e avalia-las, de modo que as atividades prescritas sejam adequadas para o grau de fraqueza ou instabilidade de cada paciente.

Como fortalecer o manguito rotador e evitar lesões?

A melhor maneira de evitar lesões em qualquer região muscular do corpo é evitando deixá-la em desuso. O desuso faz com que a musculatura, em decorrência da falta de estímulo se torne hipotônica, hipotrófica e com grande grau de fraqueza.

Resultado de imagem para ombro forte gif

Quando o músculo se encontra nessas condições é comum que ele se torne mais suscetível a lesões, tanto na região muscular quanto tendínea.

Para que isso não aconteça, é necessário exercitar os músculos do manguito rotador de maneira simples. Não é necessário, o uso de muitos equipamentos. Entretanto, sempre é essencial um acompanhamento médico ou de um profissional de educação física, principalmente em indivíduos que já sofreram algum tipo de lesão ou fratura.

Os exercícios visam fortalecer e alongar os músculos do ombro, mantendo a estabilidade articular, aliviando as dores já existentes e prevenindo novas lesões.

É interessante alongar sempre, antes e depois a prática dos exercícios.

É imprescindível que a postura do indivíduo também seja avaliada e corrigida durante a execução dos exercícios, para evitar que lesões na coluna vertebral e ocorram novas dores.

atenção com a postura principalmente durante os exercícios

atenção com a postura principalmente durante os exercícios

A posição das demais articulações do corpo também são importantes para que não haja nenhuma sobrecarga articular, sobretudo na articulação do cotovelo que é muito explorada durante a realização de exercícios para manguito rotador.

Por último, mensurar sempre as cargas de acordo com capacidade e necessidade de cada pessoa, evoluindo progressivamente e evitando assim lesões durante o treino.

Atenção para não exagerar no peso, respeite seus limites

Atenção para não exagerar no peso, respeite seus limites

Prezando pela integridade postural e articular, grande parte dos exercícios abaixo descritos usam como equipamentos: halteres leves, que podem ser substituídos, por exemplo, por uma garrafa de 500ml com areia dentro; faixas elásticas; bastões e o próprio efeito da gravidade.

Lembrando que conforme evolução, os exercícios podem ser adaptados e dificultados, com maior carga ou maior número de séries e repetições.

Alongamentos

Antes de qualquer tipo de prática esportiva, o alongamento é muito importante porque promove o aquecimento da musculatura e aumenta a flexibilidade. O hábito de se alongar antes das atividades físicas melhora a circulação sanguínea, ajuda na prevenção de lesões e proporciona maior relaxamento muscular.

Alongamentos para manguito rotador

Alongamentos para manguito rotador

 

É uma etapa que não deve ser pulada e que torna os exercícios posteriores bem mais produtivos. Apesar de não ser muito comentada, a prática do alongamento após realizar atividades físicas também é muito benéfica, pois evita as dores musculares e ajuda o músculos a se manterem esticados e relaxados.

Rotação externa de Ombro

Esse exercício pode ser realizado tanto de pé com faixa elástica quanto deitado com halter. A posição do cotovelo em 90° é muito importante para a boa execução desse exercício.

Exercício para M. Infraespinhoso e M. Redondo Menor

Exercício para músculos infraespinhoso e redondo menor

Os músculo trabalhados durante a rotação externa de ombro são o infraespinhal e o redondo menor, primariamente e deltoide posterior, secundariamente.

Rotação Interna de Ombro

Assim como a rotação externa, a rotação interna de ombro pode ser realizada tanto de pé com faixa elástica quanto deitado com halter, o que muda de um exercício para o outro é o sentido do movimento.

Exercício para M. Subescapular

Exercício para Músculo subescapular

O cotovelo deve ser mantido num ângulo de 90° para a boa execução desse exercício. Os músculos trabalhados são o subescapular, primariamente e o peitoral maior, secundariamente.

Levantamento Lateral Apoiado

Esse exercício é interessante porque a posição inclinada do tronco, gera mais enfoque no supraespinhoso, fazendo que no movimento de levantamento do halter, ele realize mais esforço.

Exercício para M. Supraespinhoso

Exercício para Músculo supraespinhal

Os músculos trabalhados nesse exercícios são supraespinhal, primariamente e deltoide lateral e anterior, secundariamente.

Exercício de Propriocepção de Ombro

Esse tipo de exercício tem o objetivo de melhorar as respostas articulares do ombro. Esse ajuste da cinesia do ombro leva à uma melhora significativa na consciência corporal e nas noções de espaço.

Vale ressaltar, que os exercícios podem ser realizados com diferentes tipos de materiais e em posições diferentes. A escolha dos exercícios deve ser feita respeitando as particularidades de cada indivíduo, suas dificuldades e limitações.

É essencial que a prática de atividade física seja regular, para a constante manutenção do tônus e força muscular, bem como da elasticidade da articulação.

Sofre com dores nos ombros? Descubra porquê surgem e como se livrar delas!

As dores nos ombros podem ter várias razões diferentes, tais como:

  • Trabalhos que usem muito a musculatura e a articulação do ombro, como nos dentistas;
  • Prática de esportes que envolvam movimentos de lançamento ou arremesso como o tênis e a natação;
  • Traumatismos ou quedas;
  • Reumatismos;
  • Desgaste articular causado por doenças ortopédicas;
  • Processo natural do envelhecimento, entre outras.

A dor no ombro pode ser muito incômoda e tornar-se um fator limitante e até impedir a realização de algumas atividades diárias. Mas para saber o problema de cada indivíduo é imprescindível levantar a história clínica, investigar problemas passados e realizar um exame físico detalhado.

O exame físico é composto por alguns testes ou manobras clínicas.  Estes testes são utilizados para identificar diferentes problemas articulares. Veja abaixo alguns deles com foco principal no manguito rotador:

Teste de Jobe

Esse teste tem objetivo de avaliar especificamente o músculo supraespinhal.

Teste de Jobe

Teste de Jobe

Com o paciente posicionado como na imagem acima. O médico aplica uma força para abaixar os braços do paciente, simultaneamente, enquanto o paciente tenta resistir.

O teste também é aplicado para verificar se um membro tem menos força que o outro.

Teste de Hawkins/Kennedy

Esse teste proporciona o atrito do tendão supraespinhal com o acrômio e a porção distal da clavícula.

Teste de Hawkins/Kennedy

Teste de Hawkins/Kennedy

O resultado do teste é positivo caso haja dor ou desconforto que possa significar uma tendinite ou tendinopatia do manguito rotador.

Teste de Neer

Nesse teste o paciente deve estar posicionado como na imagem abaixo. O médico elevará passivamente o braço do paciente em toda a sua amplitude.

Teste de Neer

Teste de Neer

O teste causa choque ou impacto da tuberosidade maior do úmero contra a face ântero-inferior do acrômio e caso haja inflamação do tendão supraespinhal ou bursite, a manobra provocará dor no paciente.

Teste de Patte

Esse teste é para avaliação do músculo infraespinhal. É realizado com o paciente posicionado como na imagem abaixo. Solicita-se ao paciente que resista à força de rotação interna feita pelo médico. Se o paciente apresentar resistência diminuída no lado acometido, é provável que haja ruptura no tendão infraespinhal.

Teste de Patte

Teste de Patte

Caso o paciente não consiga manter-se na posição para realização do teste, há indícios de lesão extensa do manguito envolvendo completamente o músculo infraespinhal.

Teste do Subescapular de Gerber

Nesse teste o paciente coloca o dorso da mão ao nível da quinta vertebra lombar. Posteriormente, procura ativamente afastá-la das costas rodando internamente o braço.

Teste do Subescapular de Gerber

Teste do Subescapular de Gerber

O médico aplica uma resistência e o paciente deve ser capaz de afastar a mão das costas e manter afastamento, a não realização ou grande dificuldade pode indicar lesão do músculo subescapular.

 

Quais as principais causas de dor no ombro originadas no Manguito Rotador?

Existem várias causas de dor no ombro. Para um correto diagnóstico é essencial uma consulta com seu médico ortopedista, especialmente se for um especialista em ombros.  No entanto, quando falamos do manguito podemos destacar os principais problemas:

Tendinite ou Tendinopatia do Manguito Rotador

A tendinite ou tendinopatia é o processo degenerativo/inflamatório de um tendão.

O tendão apesar de ter uma função de ligação e sustentação, não é tão forte quanto os ossos nem possui tanta elasticidade quanto os músculos. Por essa razão é a primeira estrutura a ser afetada quando há sobrecarga.

Geralmente, a tendinite do manguito rotador está associada à atividades repetitivas, como a de um jogador de tênis ou à de um trabalhador braçal mas existem alguns outros fatores que contribuem para seu aparecimento, que podem ser:

  • Falta de alongamento muscular;
  • Postura inadequada;
  • Idade mais avançada;
  • Uso excessivo de celular;
  • Tabagismo;
  • Diabetes;
  • Reumatismos, entre outros.
Manguito Rotador saudável e Manguito Rotador com Tendinite

Manguito Rotador saudável e Manguito Rotador com Tendinite

São os principais sintomas:

  • Dor nos ombros;
  • Dor e sensibilidade ao tentar alcançar algo acima da cabeça;
  • Dificuldade em atingir todos os movimentos dos ombros;
  • Fraqueza progressiva dos ombros;
  • Dor limitante e incapacitante;

O diagnóstico da tendinite do manguito rotador geralmente é feito através do exame físico e de exames de imagem, como a ultrassonografia ou ressonância magnética.

Os exames de imagem também são eficazes também para descartar outras possíveis causas da dor.

O tratamento da tendinite do ombro é sempre inicialmente não-cirúrgico, podemos utilizar gelo, antiinflamatórios e analgésicos. Devem ser também evitados os fatores que iniciaram ou agravaram os sintomas.

Para que o paciente não volte a sofrer com as dores da tendinite, recomenda-se que o paciente corrija a postura, principalmente durante o trabalho ou prática de esportes.

Em caso de trabalhadores manuais, é de grande valia a execução de exercícios de ginástica laboral durante um intervalo do trabalho, para alongar e relaxar os músculos e tendões, lembrando que as pausas são muito importantes.

Alongue-se!

Alongue-se!

E por último mas não menos importante, respeitar os seus limites e o início da dor.  Evite continuar uma atividade quando ela der sinal.

Em último caso, quando o tratamento conservador se mostra ineficiente, é possível recorrer ao procedimento cirúrgico que raramente é necessário. Através da artroscopia do ombro, pode ser removida a bursa inflamada e esporões do acrômio, aumentando o espaço para os tendões.

Durante a cirurgia, os tendões podem ser visualizados diretamente. Se houver alguma lesão no tendão não diagnosticada nos exames de imagem, ela pode ser reparada.

Síndrome do Manguito Rotador ou Rotura do manguito rotador

A Síndrome do Manguito Rotador ou síndrome do impacto do ombro corresponde a tendinopatia ou rotura parcial ou rotura completa de um ou mais tendões do manguito rotador. Ela pode ser ocasionada por trauma, degeneração natural da idade ou deficiência da irrigação sanguínea nesses tendões.

Os sintomas mais comuns entre os pacientes são:

  • Dor no ombro que irradia para o braço;
  • Fraqueza muscular e incapacidade de realizar movimentos com o ombro acima da cabeça;
  • Sintomas que pioram ao dormir ou deitar sobre o ombro;
  • Sintomas que pioram a noite.

Os fatores mais comuns desencadeadores dessa síndrome são o uso excessivo da articulação, idade acima dos 40 anos, atletas, reumatismos e traumas.

A síndrome foi dividida em três fases por Neer em 1972:

A primeira fase, caracterizada por edema e hemorragia dos tendões, acomete pessoas em qualquer idade, sendo mais comum entre os jovens. Ao realizar movimentos repetitivos de elevação, surge a dor no ombro e na parte lateral do braço.

Não é regra mas é possível que haja limitação de movimento e crepitação.

Na segunda fase, caracterizada pela inflamação acentuada e fibrose, os sintomas são os mesmos.

Na terceira fase, se não tratada, a lesão aumenta e progride, o que pode levar à ruptura do tendão, que provoca perda de força e da capacidade de movimento de acordo com o grau da ruptura. Na maioria dos casos, essa ruptura ocorre em indivíduos com mais de 40 anos e que apresentaram muitos sintomas durante um longo período de tempo.

O diagnóstico é feito com base na história que o paciente contou a respeito da dor e pelo exame físico. O médico pode pedir exames que confirmem ou descartem as possibilidades de diagnóstico:

  • Ultrassonografia;
  • Ressonância Magnética;
  • Radiografias.

O melhor tratamento destas lesões depende de uma série de fatores como:

  • idade do paciente;
  • intensidade da dor;
  • perda da função;
  • número de tendões acometidos;
  • se a lesão é parcial ou completa.

Portanto, o tratamento deve ser individualizado para cada paciente.

As lesões dos tendões do manguito rotador não cicatrizam sozinhas.No entanto, nem todas as lesões precisam de cirurgia.

Podem ser usados no tratamento medicamentos que controlem a inflamação e amenizem as dores mas em alguns casos, onde a inflamação se mantém persistente, pode ser preciso fazer infiltração com injeções de corticoides dentro da articulação.

Quando não há eficácia por meio do tratamento clínico e conservador, que pode durar vários meses, recomenda-se o tratamento cirúrgico. Dentre as possibilidades cirúrgicas para a Síndrome do Manguito Rotador, encontra-se:

  • Acromioplastia: Ressecação parcial do osso acrômio;
  • Sutura de rupturas no Manguito rotador;
  • Bursectomia: Remoção da bursa com objetivo de diminuir inflamação;
  • Retirada de osteófitos acromioclaviculares.

Tendinite calcária do manguito rotador

É uma tendinite que caracteriza-se por depósitos de cristais de cálcio no interior dos tendões do ombro. As causas da formação destes depósitos de cálcio são desconhecidas, não estão relacionadas a atividade do paciente, alimentação ou acidentes prévios.

tendnite calcária

Tendinite calcária do ombro

Os sintomas da tendinite calcárea ou calcária são muito semelhantes as tendinites ou bursites do manguito rotador.

Na radiografia do ombro podemos fazer o diagnóstico, visualizando as calcificações nos tendões.

Os depósitos de cálcio na tendinite calcária ou calcárea se formam lentamente ao longo dos meses ou anos. Durante esta fase muitos pacientes tem um desconforto leve no ombro ou são até assintomáticos.

Para estes pacientes, o tratamento clínico com fisioterapia e medicações antiinflamatórias é muito efetivo.

Sabemos que na maioria dos pacientes, a calcificação será reabsorvida sozinha ao longo do tempo. Durante a fase de reabsorção, pelo processo inflamatório, a dor pode piorar. Nesta etapa, podemos utilizar analgésicos e anti-inflamatórios potentes. Pode ser também realizada uma infiltração no ombro no intuito de aspirar e/ou quebrar as calcificações com ótimos resultados.

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta