A natação é uma atividade física excelente mas cerca de 90% da força de propulsão durante o nado é realizada pelo ombro e sua musculatura adjacente. Por isso, dor no ombro é a queixa ortopédica mais frequente nos nadadores, afetando 75% destes atletas em alguma fase de sua vida.

Muito embora existam outras lesões, que são associadas a cada tipo de nado como por exemplo nos joelhos para quem pratica nado peito, as principais lesões da natação se concentram no ombro.

As lesões são mais comuns em atletas de alta performance, já que um atleta profissional chega a nadar 60 Km por semana, realizando cerca de 30.000 braçadas; no entanto nadadores amadores também podem ter lesões. 

Durante o nado, o ombro é submetido a amplas mudanças no seu posicionamento e a fortes contrações dos músculos peitoral maior, serrátil anterior, grande dorsal e trapézio. Este esforço de modo regular e contínuo pode ocasionar diversas lesões no ombro por sobrecarga e repetição.

20% dos nadadores tem algum grau de frouxidão ligamentar

20% dos nadadores tem algum grau de frouxidão ligamentar

Sinais durante a natação que indicam algum problema no ombro

O primeiro sinal claro sem dúvida é a dor, qualquer tipo de dor no ombro precisa ser investigada.

No entanto aumento da rotação do tronco e cotovelo baixo durante a  fase de recuperação aérea são sinais que o atleta está com algum desbalanço muscular no ombro, ou seja, está ajustando um problema no ombro com algum tipo de movimento.

fique atento para aumento da rotação do tronco e cotovelo baixo

fique atento para aumento da rotação do tronco e cotovelo baixo

É importante se atentar para esses sinais e sempre que possível treinar com um professor qualificado que consegue observar esses sintomas, evitando que o problema fica mais grave.

As Lesões mais comuns na natação e sintomas

As lesões mais comuns nos atletas de natação com seus respectivos principais sintomas são:

  • lesão SLAP
    >> principais sintomas são as dores na parte da frente ou atrás do ombro, principalmente com o ombro elevado e com rotação externa máxima
  • hiperfrouxidão ligamentar com subluxação ou luxação do ombro
    >> principal sintoma é a sensação que o ombro vai sair do lugar ou de “braço morto”
  • tendinites do manguito rotador
    >> principais sintomas são dor na região lateral ou anterior (frente) do ombro, principalmente no movimento de elevação do ombro
  • síndromes compressivas do nervo supraescapular
    >> principais sintomas são a fraqueza para elevar o braço e rodar externamente o ombro
  • discinesia da escápula
    >> principais sintomas são a escápula alta e com alteração de movimentação

A Lesão SLAP

Dores na parte da frente ou atrás do ombro, principalmente com o ombro elevado e com rotação externa máxima podem ser sinais de lesão SLAP.

As lesões SLAP  são aquelas que ocorrem no lábio superior da glenóide. A superfície articular da escápula (glenóide) articula com a cabeça do úmero formando a articulação do ombro. O lábio é uma estrutura que circunda a superfície articular da glenóide aumentando a área e a estabilidade do ombro, evitando que ele luxe com a movimentação.

Estas lesões foram descobertas apenas há 25 anos com o desenvolvimento das técnicas de artroscopia e melhora dos métodos diagnósticos. Comumente estas lesões acometem a origem do músculo bíceps, pois um dos tendões deste músculo origina-se nesta região.

Frouxidão Ligamentar

Cerca de 20% dos nadadores tem algum grau de frouxidão ligamentar. Vários anos de treinamento podem aumentar o alongamento da cápsula articular do ombro, levando a uma sobrecarga do manguito rotador e da musculatura ao redor da escápula na tentativa de estabilizar a articulação.

Quando a musculatura torna-se insuficiente para manter a estabilidade do ombro, podem ocorrer subluxações e lesões labrais do ombro.

O nadador pode ter dor e a sensação que seu ombro pode sair do lugar. Outro sintoma muito comum é a perda de força nos ombros e a sensação de “braço morto”.

O diagnóstico de frouxidão ligamentar é clínico mas a ressonância magnética pode ajudar na busca de lesões labrais ou SLAP.

Ressonância magnética demonstrando lesão SLAP

Ressonância magnética demonstrando lesão SLAP

Discinesia Escapular

Outra alteração frequente nos nadadores é a discinesia escapular. A escápula faz a principal conexão e transmissão de força entre o tronco e o ombro.  Ela é a origem e a inserção de diversos músculos.

Um desbalanço da musculatura ao redor da escápula pode levar a uma movimentação inadequada deste osso durante a elevação do braço. Os músculos peitorais maior e menor encurtados deslocam a escápula para frente e o músculo trapézio para cima.

Esta alteração dinâmica no posicionamento da escápula pode diminuir o espaço entre a cabeça do úmero e o acrômio, local onde passam os tendões do manguito rotador. Isto pode gerar um processo inflamatório nos tendões (tendinite) e da bursa subacromial (bursite).

O diagnóstico da discinesia da escápula é clínico e exames de imagem raramente são necessários.

Discinesia da escápula por desequilíbrio muscular

Discinesia da escápula por desequilíbrio muscular

 

Qual o tratamento para dor no ombro nos nadadores?

Evidentemente que o tratamento pode variar conforme o diagnóstico do paciente. Alguns casos serão mais graves e talvez uma cirurgia seja recomendada mas no geral o tratamento conservador sempre é indicado.

Lembrando que em todos os nadadores devemos realizar uma reabilitação com intuito de diminuir os sintomas de hiperfrouxidão ligamentar quando existentes e corrigir o desbalanço da musculatura periescapular, eliminando a discinesia da escápula.

  • Também devem ser utilizados gelo, antiinflamatórios e repouso.
  • Devem ser realizados exercícios de alongamento da capsula posterior dos ombros, músculos peitorais e trapézio superior.
  • Devemos realizar o fortalecimento dos músculos romboides, serrátil anterior e dos rotadores externos e internos dos ombros que são estabilizadores importantes da escápula.
Alongamento do músculo peitoral menor para nadadores

Alongamento do músculo peitoral menor para nadadores

É importante o atleta, o treinador e os ortopedistas estarem atentos as características das diferentes lesões que podem estar presentes nestes atletas.