A fratura de clavícula ou clavícula quebrada é uma lesão bastante comum, especialmente entre as crianças e os jovens. Ocorre por quedas sobre o ombro ou pancadas diretas sobre a clavícula. A fratura de clavícula é frequente em quedas de moto, no ciclismo ou quedas da própria altura em outros esportes.

O tratamento pode ser clínico com uso de tipóia ou cirúrgico, as características da fratura e o nível de atividade do paciente determinam o melhor tratamento para cada caso.

O que é a clavícula?

A clavícula é osso que conecta o membro superior ao tórax. É facilmente palpável na região superior do tronco e tem formato em S.

A clavícula é osso que conecta o membro superior ao tórax

A clavícula é osso que conecta o membro superior ao tórax

A clavícula tem duas articulações, uma com o esterno, formando a articulação esternoclavicular. E outra com o acrômio, formando a articulação acromioclavicular.

Nós ortopedistas, dividimos didadicamente a clavícula em 3 terços e a maioria das fraturas ocorrem no terço médio.

dividimos didadicamente a clavícula em 3 terços e a maioria das fraturas ocorrem no terço médio.

Anatomia da Clavícula

Diagnóstico da fratura de clavícula

Os pacientes com fratura da clavícula possuem entre os principais sintomas:

  • dor na região do ombro;
  • edema na região da clavícula;
  • equimose;
  • crepitação ou sensação de estalidos no local;
  • Dificuldade para elevar o ombro.

Radiografia simples é o método mais recomendado para confirmar a fratura da clavícula, finalizando o diagnóstico.

Radiografia de fratura da clavícula

Radiografia de fratura da clavícula

Como tratar a fraturas de clavícula em crianças e bebês

A fratura da clavícula são as mais frequentes na infância e por isso é sempre importante atentar aos sintomas. O tratamento depende da idade da criança mas de maneira geral:

  • Nos recém-nascidos, prender a manga da roupa com um alfinete, imobilizando o membro superior já é o suficiente para manter seu filho confortável, sem dor e permitir a consolidação da fratura.
  • Nas crianças maiores, o uso de uma tipoia por 3 a 4 semanas é o tratamento mais adequado.

Como tratar a fratura de clavícula nos adultos

Nos adultos, o tratamento deve ser individualizado levando em conta a presença de outras fraturas, desvio dos fragmentos e nível de atividade do paciente.

Em 85% dos casos, as fraturas da clavícula ocorrem no seu terço médio.

A maioria das fraturas da clavícula no seu terço médio podem ser tratadas sem cirurgia com uso de tipoia por 1 mês.

Tipoia-fratura-na-clavícula

Tratamento com tipóia para fratura na clavícula

Alguns ortopedistas preferem a imobilização em 8, mas a literatura médica não mostra resultados superiores no uso desta imobilização e são mais desconfortáveis.

Para as fraturas do terço médio da clavícula, as indicações de cirurgia são:

  • Pacientes com outras fraturas no mesmo ombro ou membro superior;
  • Fraturas com encurtamento maior que 2 cm. A informação deve constar na radiografia ou médico pode medir;
  • Fraturas expostas;
  • Pacientes que não toleram a imobilização;
  • Pacientes vitimas de politraumatismos;

As fraturas do terço lateral e medial da clavícula habitualmente são tratadas sem cirurgia, entretanto, a fratura da clavícula lateral com lesão ligamentar associada podem ser tratada com cirurgia.

Como é a cirurgia para fratura de clavícula?

Na maioria das fraturas, o objetivo é fixar os fragmentos ósseos e estabilizá-los de modo a permitir uma movimentação e reabilitação precoce.

Existem diversos métodos para fixar a fratura na clavícula:

  • Placas e parafusos;
  • Hastes intramedulares;
  • Fixador externo (raramente empregado).

O método mais utilizado atualmente é a fixação com placas pré-moldadas para esse tipo de fratura. Estas placas possuem características mecânicas que apresentam maior resistência e promovem maior estabilidade.

Cirurgia clavicula quebrada

Cirurgia fratura na clavícula

Qual o tempo de recuperação para a fratura de clavícula?

Os pacientes com fraturas de clavícula ficam imobilizados com tipóia por 1 mês em média. Posteriormente é iniciada a fisioterapia para a fratura de clavícula.

Uma fratura da clavícula demora de 12 a 16 semanas para consolidar ou colar.

Aproximadamente após 2 meses, os pacientes estão com o movimento do ombro próximo da normalidade e com 3 a 4 meses são iniciados os exercícios para ganho de força muscular.

Retardo de consolidação ou pseudoartrose da clavícula

Alguns pacientes podem ter um tempo de recuperação maior por dificuldade de consolidação da fratura, também conhecido como retardo de consolidação. O Retardo de consolidação ocorre quando há um atraso no tempo para que ocorra uma consolidação ou uma “fratura colar”.

Pseudoartrose é o nome que se dá quando este atraso é muito grande e muito provavelmente a consolidação não vai ocorrer.

Fraturas da clavícula com mais de 6 meses de evolução e sem sinais de consolidação podem estar em pseudoartrose.

Existem diversas causas para o retardo de consolidação, dentre elas as principais são:

  • deficiências na irrigação sanguínea no foco de fratura por diabetes, tabagismo e outras doenças crônicas;
  • excesso de mobilidade no foco de fratura;

As pseudoartroses geralmente precisam de tratamento cirúrgico com:

  • Redução aberta da fratura;
  • Revitalização do foco de fratura;
  • Enxerto ósseo;
  • Estabilização da fratura com fixação interna rígida.

Nesses casos é importante procurar a ajuda de um médico ortopedista especialista em ombro.

 

FAQ Sobre Fratura de Clavícula

O que é a clavícula?

A clavícula é osso que conecta o tronco com o membro superior. Articula-se com o esterno na articulação esternoclavicular e com a escapula na articulação acromioclavicular. É facilmente palpável na região superior do tronco e tem formato em S.

Quando quebra a clavícula quanto tempo de recuperação?

A fratura da clavícula pode demora em torno de 2 a 4 meses para consolidar completamente. Os pacientes devem usar uma tipoia por 30 a 40 dias. Com 2 a 4 meses, a maioria dos pacientes está executando normalmente as atividades do dia a dia, entretanto esforços mais intensos são liberados apenas após 6 meses da fratura.

Como saber se a clavicula está quebrada?

Os pacientes com fratura da clavícula possuem entre os principais sintomas: dor na região do ombro; edema na região da clavícula; equimose; crepitação ou sensação de estalidos no local; Dificuldade para elevar o ombro. Radiografia simples é o método mais recomendado para confirmar a fratura da clavícula, finalizando o diagnóstico.

O que fazer quando quebra a clavícula?

Primeira medida é procurar um médico ortopedista. Ele vai avaliar e determinar qual o melhor tratamento para seu caso.

Qual a melhor imobilização para a clavícula?

A maioria das fraturas da clavícula no seu terço médio podem ser tratadas sem cirurgia com uso de tipoia por 1 mês. Alguns ortopedistas preferem a imobilização em 8, mas a literatura médica não mostra resultados superiores no uso desta imobilização e são mais desconfortáveis.

Como é a cirurgia para fratura de clavícula?

Na maioria das fraturas assim como essa, o objetivo é fixar os fragmentos ósseos e estabilizá-los de modo a permitir uma movimentação e reabilitação precoce. Existem diversos métodos para fixar a fratura na clavícula: Placas e parafusos; Hastes intramedulares; Fixador externo (raramente empregado). O método mais utilizado atualmente é a fixação com placas pré-moldadas para esse tipo de fratura. Estas placas possuem características mecânicas que apresentam maior resistência e promovem maior estabilidade.

 

210 respostas
« Older Comments
  1. Maria says:

    Dr, tenho 14 anos, fraturei minha clavícula em uma competição de judô, permaneci com imobilização 4 semanas. Após 6 semanas retornei aos treinos e com 8 semanas refraturou a clavícula, no mesmo local. Novamente permaneci 4 semanas com imobilização. Com quanto tempo posso retornar aos treinos e fazer atividades de impacto com segurança?

    Responder
  2. Fabiana de Oliveira silva says:

    Quebrei a minha clavícula quando tinha 13 anos hj tenho 21 e ainda sinto um incômodo nela , as vezes dois bastante. É normal depois de tanto tempo ou pode ser que não foi recuperado direito? Lembro que depois que quebrei ela uns dois meses depois tive pneumonia e no raio x do meu pulmão deu pra ver a clavícula tbm é parecia que não tava colada reta tava meio que uma em baixo outra em cima . Tem como isso acontece dela não voltar pro lugar ?

    Responder
  3. Marcos Yuri says:

    Boa tarde Dr! Quebrei a clavícula do lado direito e hoje fazem 30 dias usando uma tipoia americana. Recentemente ando sentindo dores nas costelas e nas costas no mesmo lado. Essas dores podem ter relação com o processo de recuperação? 45 dias é um período bom para tirar outro raio X ou posso fazê-lo logo com 30? Obg!

    Responder
  4. Vitória.S says:

    Olá, quebrei minha clavícula três anos atrás, em um acidente de bicileta, tive de fazer uma cirurgia e colocar uma placa, pois havia quebrado em seis pedaços. Me recuperei muito rapido, em menos de duas semana já erguia o braço e fazia tudo normalmente, tive acompanhamento médico e tudo colou, a unica coisa que me encomoda na placa, nesses anos, e um leve desconforto pra me posicionar para dormir. Gostaria de saber sobre a recuperação da retirada da placa, eu ficarei com movimentos limitados por quanto tempo após a cirurgia?? Eu estudo e trabalho com violoncelo e gostaria de saber quanto tempo vou precisar parar com a atividade

    Responder
  5. Jose Drummont says:

    Olá, Quebrei minha clavícula a 5 semanas com fratura exposta e passei por uma cirurgia(usando Arthrex tightrope) fiquei de repouso total nessas 5 semanas, porem ainda sinto muitas dores no ombro e estou tomando remédio para essas dores, porém minha pergunta é normal ainda sentir dores após 5 semanas? E quando poderei voltar às minhas atividades normais? Obrigado

    Responder
  6. Brenndon says:

    Dr. fraturei minha clavícula por volta de uma semana, fiz cirurgia e gostaria de saber em quanto tempo posso voltar a ter relações sexuais com minha namorada?

    Responder
« Older Comments

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *