Artrose ou Artropatia degenerativa acromioclavicular

Artrose-ou-Artropatia-degenerativa-acromioclavicular

A artrose ou artropatia degenerativa acromioclavicular é uma das causas mais comuns de dor no ombro.  Acomete preferencialmente indivíduos dos 30 aos 50 anos de idade e está associada com atividades esportivas ou profissionais que exigem elevação dos membros superiores acima do nível da cabeça como esportes de arremesso e natação. Também é muito encontrada em praticantes de musculação.

O que é a articulação acromioclavicular?

É a articulação entre a região distal da clavícula e um processo ósseo da escápula chamado acrômio. É uma articulação incongruente, isto é, as superfícies de cartilagem dos dois ossos que compõem esta articulação não tem um encaixe perfeito. Isto leva a um desgaste precoce  e podemos encontrar uma artropatia degenerativa da articulação acromioclavicular em pacientes com menos de 50 anos de idade.

Articulação acromioclavicular

Articulação acromioclavicular

O que é artrose?

Uma articulação para ter uma movimentação adequada e sem dor precisa ter suas superfícies recobertas de cartilagem saudáveis, lisas e bem lubrificadas. Na artrose ou artropatia degenerativa da articulação acromioclavicular ocorre um desgaste da cartilagem podendo causar dor.

Quais são os sintomas da artrose ou artropatia degenerativa acromioclavicular?

O sintoma mais comum é dor no ombro que ocorre mais comumente quando o paciente eleva o braço acima da cabeça. A dor é predominantemente na região superior do ombro sobre a articulação acromioclavicular, mas pode irradiar para os músculos trapézio e deltóide.

Localização da dor na artropatia degenerativa (artrose) acromioclavicular

Localização da dor na artropatia degenerativa (artrose) acromioclavicular

Quais exames fazem o diagnóstico desta doença?

Na radiografia do ombro podemos observar diminuição do espaço articular, cistos e esclerose subcondral, bem como osteófitos na articulação acromioclavicular.

Radiografia do ombro com sinais de artropatia degenerativa (artrose) acromioclavicular

Radiografia do ombro com sinais de artropatia degenerativa (artrose) acromioclavicular

 

A ressonância magnética do ombro pode também demostrar estas alterações e tem como vantagem permitir o diagnóstico de outras lesões concomitantes no ombro, como roturas do manguito rotador, lesões labrais e da cabeça longa do bíceps.

Entretanto, é importante ressaltar que comumente encontramos, no laudo da ressonância magnética do ombro de diversos pacientes, a presença de artropatia degenerativa da articulação acromioclavicular. Este achado muitas vezes não é significativo e não tem correlação com os sintomas do paciente, outros problemas no ombro são as causas da dor nestes pacientes.

Ressonância magnética demonstrando artrose acromioclavicular

Ressonância magnética demonstrando artrose acromioclavicular

Como é o tratamento da artrose ou artropatia degenerativa acromioclavicular?

O tratamento da artrose acromioclavicular é preferencialmente não cirúrgico.  É utilizado anti-inflamatórios, analgésicos e o tratamento fisioterápico. Devem também ser evitados movimentos repetitivos de elevação dos ombros, especialmente aqueles com carga. O tratamento fisioterápico, tem como objetivo, aumentar a flexibilidade do ombro e fortalecer a musculatura ao redor da escápula e do manguito rotador, protegendo a articulação acromioclavicular. Se este tratamento for ineficaz pode ser realizada uma infiltração com corticóide nesta articulação.

Tratamento cirúrgico – quando está indicado e como é realizado?

O tratamento cirúrgico está indicado quando todas as medidas do tratamento não cirúrgico falham. O tratamento cirúrgico consiste na remoção ou ressecção da clavícula distal (Mumford). Pode ser realizado pelo método aberto ou por artroscopia. A vantagem do tratamento artroscópico é a preservação do músculo deltóide e do ligamento acromioclavicular superior, permitindo uma recuperação mais rápida.

Ressecção da clavícula distal por artroscopia