Posts

Osteoporose e a fratura do ombro (úmero proximal)

Fraturas do ombro ou úmero proximal são muito comuns, representando 5% de todas as fraturas do corpo humano. A incidência desta fratura tem tendência crescente com a idade, 70% das fraturas do úmero proximal ocorrem em pessoas acima dos 60 anos de idade. Esta fratura é mais comum nas mulheres e têm uma forte associação com a osteoporose. O risco de uma pessoa com osteoporose ter uma fratura do úmero proximal é 2,6 vezes maior em relação a pessoas sem osteoporose. Dada a associação destas duas doenças, em indivíduos idosos com fratura do ombro é imperativo investigar a presença da osteoporose. O correto diagnóstico e tratamento pode evitar novas fraturas.

Fratura do ombro (fratura do úmero proximal)

Fratura do ombro (fratura do úmero proximal)

O que é a osteoporose?

Osteoporose é uma doença caracterizada pela diminuição da massa e tecido ósseo que compromete a força e resistência do osso e pode aumentar o risco de fraturas. É uma da doença muito comum, representando um problema de saúde pública. Ela é mais frequente nos indivíduos da raça branca, mulheres e pessoas mais idosas. É uma doença silenciosa até a fratura ocorrer, podendo causar outros problemas de saúde secundários a fratura e a diminuição da mobilidade. As fraturas mais comumente associadas a osteoporose são as fraturas do quadril, coluna, punho e do ombro ou úmero proximal.

osteoporose_fraturaombro_2

Como ocorre a osteoporose?

O Osso é um tecido vivo, onde acontece um processo contínuo de destruição/reabsorção e formação. Quando ocorre reabsorção óssea em maior quantidade em relação a formação pode ocorrer a osteoporose. Fatores hormonais como a menopousa, genéticos e a idade colaboram para uma diminuição da formação óssea. Por outro lado, atividade física e uma boa alimentação aumentam a formação óssea.

Quais são as causas da osteoporose?

A maioria dos casos de osteoporose são devido a menopausa e a idade. Mas existem outras causas que devem ser investigadas como doenças renais, uso de corticoides, doença reumatológicas, baixa ingesta de cálcio, doenças do trato gastrointestinal e a insuficiência de vitamina D.

Quais exames devem ser solicitados para os pacientes idosos com fraturas do ombro (úmero proximal)?

Devem ser solicitados exames laboratoriais como dosagem do cálcio sérico, vitamina D, fosforo e magnésio, hormônios da tireoide, PTH, albumina, proteína total e frações, testosterona, hemograma e testes da função hepática e renal. É desejável uma consulta com o geriatra e se não foi realizada uma densitometria óssea nos últimos 12 meses, ela deve ser solicitada.

Como é o tratamento da osteoporose?

O tratamento e prevenção da osteoporose envolve uma abordagem multifatorial,
que inclui a investigação e o tratamento dos fatores secundários relacionados ao desenvolvimento da osteoporose, dos fatores associados a um risco maior de quedas, estimulo da atividade física, aconselhamento nutricional e pode envolver o uso de suplementos de cálcio e vitamina D e medicamentos como os bifosfonatos.

osteoporose_fraturaombro_3

Como é o tratamento das fraturas do ombro (úmero proximal)?

As fraturas do (ombro) úmero proximal possuem grande variabilidade em relação ao número de fragmentos ósseos, desvio entre estes fragmentos e qualidade óssea (presença ou não de osteoporose). Além destes fatores em relação a fratura, outros fatores como idade do paciente, nível de atividade e doenças associadas são importantes na decisão entre o tratamento cirúrgico e não cirúrgico. Veja mais detalhes no artigo sobre fraturas do úmero proximal.

Fratura do úmero proximal fixada com placa e parafusos

Fratura do úmero proximal fixada com placa e parafusos

Fratura do (ombro) úmero proximal

As fraturas da região proximal (ombro) do úmero são muito frequentes e apresentam aumento da incidência nos últimos anos. É muito comum em dois grupos de pacientes, homens jovens e mulheres idosas. No primeiro grupo está relacionada a acidentes no trânsito e no esporte.  No segundo está associada a osteoporose e quedas da própria altura.

fratura_ombro_1

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito pela história clínica e exame físico. São queixas comuns: dor, edema e dificuldade de movimentar o ombro.  Geralmente por radiografias simples do ombro conseguimos confirmar o diagnóstico. Em casos duvidosos, pode ser feita uma tomografia computadorizada para definir qual é a melhor opção de tratamento.

 

 

Radiografia do ombro com fratura do úmero proximal.

Radiografia do ombro com fratura do úmero proximal.

 

Tomografia computadorizada com fratura do úmero (ombro) proximal

Tomografia computadorizada com fratura do úmero (ombro) proximal

Como é o tratamento das fraturas do (ombro) úmero proximal?

As fraturas do (ombro) úmero proximal possuem grande variabilidade em relação ao número de fragmentos ósseos, desvio entre estes fragmentos e qualidade óssea (presença ou não de osteoporose). Além destes fatores em relação a fratura, outros fatores como idade do paciente, nível de atividade e doenças associadas são importantes na decisão entre o tratamento cirúrgico e não cirúrgico.  Um dos critérios de indicação cirúrgica mais comuns é o desvio entre os fragmentos da fratura do ombro (desvios maiores que 1 cm ou uma angulação maior que 45 graus).

Como é o tratamento não-cirurgico?

Esta modalidade de tratamento é reservado para as fraturas pouco desviadas que felizmente são a maioria das fraturas do úmero (ombro) proximal.  Os pacientes são imobilizados com uma tipoia tipo Velpeau por 1 mês. O tratamento fisioterápico é iniciado após 10 dias da fratura com movimentos muitos leves e com supervisão do fisioterapeuta ou indicação médica.

fratura_ombro_4

Em relação ao tratamento cirúrgico?

Houve grandes avanços no tratamento das fraturas do (ombro) úmero proximal nos últimos anos, com melhora dos implantes e da técnica cirúrgica.  Na maioria  dos pacientes  submetidos ao tratamento cirúrgico realizamos a redução dos fragmentos e fixamos com auxílio de placas e parafusos. Em pacientes muito idosos ou com qualidade óssea muito ruim, podemos não conseguir reconstruir a anatomia do úmero proximal (ombro) e temos que realizar a substituição do úmero proximal por uma prótese metálica (artroplastia parcial ou artroplastia reversa do ombro)

Placa para fixação das fraturas do ombro (úmero proximal)

Placa para fixação das fraturas do ombro (úmero proximal)

 

Fratura do ombro fixada com uma placa (A), substituída por uma prótese parcial (B) ou reversa do ombro (C)

Fratura do ombro fixada com uma placa (A), substituída por uma prótese parcial (B) ou reversa do ombro (C)

Quais são os resultados e complicações destas fraturas?

Estas fraturas envolvem a região articular do ombro, portanto muito vezes o paciente não consegue restabelecer totalmente a movimentação desta articulação. Entre as complicações mais frequentes temos a rigidez do ombro, consolidação viciosa (quando algum fragmento ósseo consolida em uma posição inadequada) e osteonecrose (infarto ósseo).

Osteonecrose após fratura do ombro

Osteonecrose após fratura do ombro