Posts

Artrose do cotovelo

A artrose é o desgaste da superfície de cartilagem de uma articulação. É também chamada de osteoartrose ou osteoartrite.   Uma articulação para ter uma movimentação adequada e sem dor precisa ter suas superfícies recobertas de cartilagem saudáveis, lisas e bem lubrificadas. Na artrose do cotovelo ocorre um desgaste da cartilagem causando dor e diminuição da movimentação. A artrose do cotovelo é muito menos frequente que a artrose do joelho ou quadril.

Artrose do cotovelo

Artrose do cotovelo

Quais são as causas da artrose no cotovelo?

A artrose do cotovelo pode não ter uma causa conhecida, sendo chamada de artrose primária. Provavelmente fatores genéticos e familiares ocasionam o desgaste da articulação. Mas existem casos onde as causas podem ser identificadas.

Pacientes com doenças reumatológicas, gota, luxações, lesões ligamentares ou fraturas prévias no cotovelo podem desenvolver precocemente uma artrose do cotovelo.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais frequentes são dor, inchaço na articulação e perda da mobilidade.  Nos casos mais graves, a dor pode ser constante e não aliviar com medicamentos, e movimentos como levar a mão à boca ou à cabeça podem ser impossíveis.

Como é feito o diagnóstico da artrose do cotovelo?

As radiografias simples do cotovelo, geralmente são os únicos exames necessários. Eventualmente para o planejamento cirúrgico ou para casos muito iniciais, a tomografia computadorizada ou ressonância magnética pode ser solicitada.

Artrose do cotovelo - Radiografia

Artrose do cotovelo – Radiografia

Como é o tratamento?

O tratamento inicial é não-cirúrgico. Utilizamos analgésicos, antiinflamatórios, gelo e fisioterapia. Alguns pacientes têm melhora dos sintomas com os chamados condroprotetores, sendo os mais utilizados a condroitina e a glucosamina. Esses remédios tentam melhorar a qualidade da cartilagem. Também pode ser feita infiltração com ácido hialurônico (viscosuplementação) como tentativa de aumentar a lubrificação da articulação e consequentemente melhorar a dor do paciente. Mas lembrando que a artrose não tem cura e todas as as medidas utilizadas visam evitar a progressão e aliviar os sintomas. A cirurgia deve ser empregada na falha deste tratamento inicial.

Como é o tratamento cirúrgico para a artrose do cotovelo?

Para casos iniciais ou leves, pode ser realizado o tratamento por artroscopia. Nesta modalidade de tratamento, através de pequenas incisões e uma câmera de vídeo dentro da articulação, retiramos as irregularidades ósseas, fragmentos de cartilagem ou osso soltos, permitindo que o paciente movimente melhor o cotovelo e com menor dor.

Para casos moderados ou graves, temos 2 opções de cirurgia: a artroplastia de interposição e a artroplastia total do cotovelo.

A) Artroplastia de interposição B) Artroplastia total do cotovelo

A) Artroplastia de interposição B) Artroplastia total do cotovelo

Na artroplastia total do cotovelo substituímos a articulação por uma peça de metal. A prótese do cotovelo tem 2 componentes: o umeral e o ulnar. Esta cirurgia está indicada preferencialmente para pacientes acima de 65 anos. Infelizmente as próteses de cotovelo não tem durabilidade e resistência boas, como as próteses do joelho e quadril.

Nos pacientes jovens, está indicada a artroplastia de interposição que consiste no recobrimento da cartilagem doente com um pedaço de fáscia, tecido que recobre o músculo, retirado do próprio paciente. O objetivo desse procedimento é tentar melhorar o deslizamento da articulação. Este procedimento não tem resultados tão bons como a prótese do cotovelo, mas é melhor opção para pacientes mais jovens.

Prótese total do cotovelo - Radiografia

Prótese total do cotovelo – Radiografia

 

Artrose do ombro

A osteoartrose ou osteoartrite do ombro é uma doença caracterizada por um desgaste da cartilagem que recobre os ossos da cabeça do úmero e da glenoide (escápula). Uma articulação para ter uma movimentação adequada e sem dor precisa ter suas superfícies recobertas de cartilagem saudáveis, lisas e bem lubrificadas. Na artrose do ombro ocorre um desgaste da cartilagem causando dor e diminuição da movimentação. A artrose do ombro é muito menos frequente que a artrose do joelho ou quadril.

artrose_ombro_1

Tenho artrose da articulação acromioclavicular é a mesma coisa?

Não, estamos falando da artrose da articulação glenoumeral, isto é, entre a cabeça do úmero e a escápula. A artrose da articulação acromioclavicular (articulação entre a clavícula e o acrômio) é extremamente frequente na população e sem sintomas na grande maioria dos pacientes. Eventualmente pode ocasionar dor nos pacientes. O tratamento para a artrose desta articulação é sempre inicialmente não cirúrgico, com medicamentos e fisioterapia.

A) Artrose do ombro (glenoumeral) B)Artrose acromioclavicular

A) Artrose do ombro (glenoumeral) B)Artrose acromioclavicular

Quais são as causas da artrose do ombro?

A maioria dos casos de artrose não tem uma causa conhecida e são chamadas de artroses primárias. Provavelmente fatores genéticos pouco conhecidos ocasionam o desgaste da articulação. Mas existem casos onde as causas são conhecidas. Entre elas temos as fraturas prévias, doenças reumatológicas e a osteonecrose (infarto ósseo). Existem também pacientes com lesões grandes e crônicas do manguito rotador que podem desenvolver um desgaste da cartilagem do ombro chamada de artropatia do manguito rotador.

A) Artrose do ombro primária B) Artrose por doença reumatológica C) Artropatia do manguito rotador

A) Artrose do ombro primária B) Artrose por doença reumatológica C) Artropatia do manguito rotador

Quais são os sintomas e como é feito o diagnóstico?

Os principais sintomas são dor e dificuldade para realizar os movimentos com o ombro. Nos casos mais graves, a dor costuma ser intensa e não melhora com analgésicos convencionais. O diagnóstico pode ser feito pela radiografia convencional. A ressonância magnética pode ser solicitada para avaliar outras lesões associadas.

Como é o tratamento da osteoartrose do ombro?

Infelizmente, a artrose do ombro é uma doença que não podemos impedir sua progressão, entretanto algumas medidas como o fortalecimento e alongamento dos músculos do ombro, bem como a restrição de atividades repetitivas com os ombros podem retardar sua evolução. Pode ser também utilizado medicamentos que favorecem o metabolismo da cartilagem e a produção do líquido articular que nutre e lubrifica a articulação. Entre estas medicações, temos a condroitina e a glicosamina por via oral e o ácido hialurônico por via injetável. Para diminuir a dor, analgésicos, antiinflamatórios e o tratamento fisioterápico devem ser utilizados.

Quando o tratamento cirúrgico deve ser indicado?

Quando os sintomas não melhoram com as medidas não cirúrgicas descritas acima. Evidentemente que casos de artrose leve e moderada respondem melhor ao tratamento clinico. As artroses graves, correspondem a maioria dos casos que serão submetidas ao tratamento cirúrgico.

Quais são as opções do tratamento cirúrgico?

Eventualmente, quando a artrose é leve, pode ser indicado o tratamento por artroscopia. Entretanto, a técnica mais utilizada é a prótese ou artroplastia do ombro, onde a articulação com artrose é substituída por componentes metálicos. Existem diferentes tipos de prótese e cada uma têm suas indicações especificas. A prótese tipo resurfacing e a artroplastia parcial envolvem a substituição apenas do úmero, sem colocação de um implante na glenoide (escápula). São indicadas em pacientes mais jovens e com artrose acometendo somente o úmero. A artroplastia total, onde são substituídas a cabeça do úmero e a glenoide, é indicada na maioria dos casos. A artroplastia reversa é utilizada nas artroses associadas a lesões do manguito rotador.

A) Prótese “resurfacing” B)Prótese total do ombro C) Prótese reversa do ombro

A) Prótese “resurfacing” B)Prótese total do ombro C) Prótese reversa do ombro

Como é o pós-operatório?

O paciente deve ficar imobilizado por 1 mês com uma tipoia, posteriormente é iniciado o tratamento fisioterápico para recuperar a movimentação do ombro. Os exercícios de fortalecimento são iniciados após o terceiro mês de pós-operatório.

Artrose e luxação esternoclavicular

O que é a articulação esternoclavicular?

A articulação esternoclavicular conecta a clavícula ao tronco. É formada pela extremidade proximal da clavícula e o esterno. Esta articulação possui pouca estabilidade óssea e depende dos fortes ligamentos que a circundam para permanecer estável.

Articulação esternoclavicular (seta)

Articulação esternoclavicular (seta)

O que é a luxação esternoclavicular?

A luxação esternoclavicular é a perda do contato normal entre as superfícies articulares da clavícula e o esterno. Ocorre frequentemente em acidentes de trânsito ou atividades esportivas. É uma lesão rara, correspondendo a 3% das luxações do ombro. Conforme o desvio da clavícula em relação ao esterno pode ser classificada em anterior ou posterior. No primeiro tipo, a clavícula está para frente em relação ao esterno e no segundo tipo para trás.

Luxação esternoclavicular anterior e posterior

Luxação esternoclavicular anterior e posterior

Como é feito o diagnóstico da luxação esternoclavicular?

Além dos sinais clínicos de dor, edema e deformidade na região da articulação esternoclavicular.

 

Luxação esternoclavicular com deformidade aparente

Luxação esternoclavicular com deformidade aparente

A tomografia computadorizada ajuda no diagnóstico e no planejamento do tratamento. Este exame também auxilia o ortopedista a diferenciar a luxação esternoclavicular das fraturas da clavícula proximal e das lesões da cartilagem de crescimento

 

Tomografia computadorizada demostrando luxação esternoclavicular posterior

Tomografia computadorizada demostrando luxação esternoclavicular posterior

Como é o tratamento da luxação esternoclavicular?

As luxações agudas, com menos de 3 semanas, devem ser reduzidas, isto é, a articulação deve ser colocada no local. Este procedimento deve ser feito no centro cirúrgico, mas pode ser feito sem incisões cirúrgicas. Nos casos onde não for possível a redução, deve ser tentada a redução aberta, onde são realizadas incisões cirúrgicas.
A luxação esternoclavicular crônica anterior com mais de 3 semanas, deve ser tratada não-cirurgicamente, com fisioterapia e medicamentos. Alguns pacientes, principalmente os mais idosos, podem ter uma função do ombro normal e com sintomas mínimos. Por sua vez, as luxações esternoclaviculares crônicas e posteriores são mal toleradas pelos pacientes, a clavícula luxada posteriormente pode levar a compressão de importantes vasos sanguíneos ou das vias respiratórias. Pacientes sintomáticos devem ser tratados cirurgicamente.

Como é o tratamento da luxação esternoclavicular crônica?

As luxações crônicas são reduzidas pelo método aberto, com incisões cirúrgicas. Para manter a articulação estável, é necessário realizar uma reconstrução ligamentar utilizando enxertos de tendão, como nas reconstruções ligamentares do joelho.

Legenda: Reconstrução da articulação esternoclavicular

Reconstrução da articulação esternoclavicular

O que é artrose (osteoartrite) esternoclavicular?

É o desgaste da cartilagem das superfícies articulares da clavícula e do esterno. É mais comum em pessoas idosos. Caracteriza-se por dor e inchaço na região esternoclavicular. O diagnóstico pode ser confirmado através de uma ressonância magnética. A maioria dos pacientes melhora dos sintomas dolorosos com gelo, antiinflamatórios e tratamento fisioterápico. Eventualmente pode ser realizada uma infiltração com corticoide.

Legenda: Artrose esternoclavicular

Artrose esternoclavicular